Fisgas de Ermelo

A ideia surgiu do Vítor Ribeiro. Enquanto degustávamos uma francesinha lançou o desafio de fazer uma travessia entre o Alvão e o Marão. Fiquei de imediato interessado, mas a ida foi sendo adiada. Na véspera de ir para a montanha sinto sempre um frenesim de expetativas. Como habitualmente tenho de me levantar cedo, estes dois aspetos acabam por redundar em poucas horas de sono. Com duas paragens pelo meio para apanhar os companheiros da aventura (Vítor Ribeiro, Américo Alves, José Carneiro, Cidálio Oliveira e Fernando Rei) chegámos à Senhora da Graça pouco passava das 8 horas da manhã. O início do percurso fez-se sem grandes problemas, sempre a descer. Passámos por Vilar de Ferreiros e apanhámos a Levada do Piscaredo. Prosseguimos por ribeiras, cruzámos o rio Cabril e subimos a encosta até ao miradouro das Fisgas de Ermelo, onde as máquinas fotográficas se deliciaram com a paisagem. É impressionante notar o poder da Natureza neste local; o vale abre-se abruptamente aos nossos pés, enquanto o rio Olo segue apressado pelas fisgas da penedia. Esta foto retém esse momento de espanto. Cerca de 12 horas e 30 quilómetros depois do início, com o espírito carregado de boas memórias, chegámos a fim da nossa odisseia. O Marão que nos aguarde!
2015-10-15