Caminhos de S. Pedro Velho

Com o litoral envolvido por um mar de nevoeiro, subimos à Freita para o regresso às caminhadas pela montanha. O percurso escolhido acabou por ser o recente PR16 – S. Pedro Velho, que tem início junto ao encantador parque do Merujal. Depois de atravessar o bosque, o trilho sobe para o miradouro que que dá nome ao percurso, um geossítio com vistas privilegiadas para a zona envolvente e de onde se pode avistar meio Portugal, desde a costa atlântica, à Estrela e ao Gerês. Apesar de não ser o ponto mais alto da serra da Freita, a sua proeminência faz com que seja dos mais espetaculares.

O percurso desce depois para a aldeia de Albergaria da Serra e apanha uma antiga levada de água que acompanhada a ribeira Foz. Dali segue para o Junqueiro, onde é possível apreciar mais um fenómeno geológico curioso da serra, as pedras broas, assim nomeadas pela parecença granítica com as côdeas das broas. Atravessando o planalto despido, o trilho investe depois para o ponto mais alto da serra, junto ao panorâmico e fotogénico miradouro do Detrelo da Malhada, de onde se tem uma vista inteira sobre o vale de Arouca.

Serpenteando pelo parque eólico no cimo da encosta, passando pelas antenas e pelo radar de navegação marítima, a caminhada aproxima-se do fantástico bosque adormecido à sombra de S. Pedro Velho. Dali prossegue, desnecessariamente, ao encontro da estrada que passa no Merujal, com o alcatrão a servir de boleia final até ao parque.

Apenas com uma subida acentuada para o miradouro que dá nome ao trilho, os cerca de 13 km (trilho) pelo planalto da Freita fazem-se sem dificuldades, com boas vistas e geossítios interessantes. Nos dias de maior estio, a melhor forma de terminar o percurso é aproveitar as águas refrescantes do rio Caima na praia fluvial de Albergaria da Serra.

Caminhos de S. Pedro Velho

Comentários